Publicado em 23 de agosto de 2011 NA  COLUNA DO EGIDIO SERPA
 Fiesp dá números à corrupção

Demorou, mas chegou a manifestação das entidades empresariais mais importantes do País de apoio à cruzada contra a corrupção. Pressionada pelas redes sociais, a Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp) e sua homônima do Rio de Janeiro – Firjan – começaram a manifestar-se a favor da faxina que faz a presidente Dilma Roussef e a publicar estudos sobre o estrago causado pela banda pobre da política brasileira. Um levantamento da Fiesp apurou que o volume de dinheiro desviado pelos políticos e por seus agentes infiltrados na Esplanada dos Ministérios é tão gigantesco, que daria para construir 78 aeroportos e 57 mil escolas. É algo como 2,3% do PIB, que é a soma de toda a riqueza produzida no País. Apesar da reação que cresce na população e em alguns segmentos da elite, surgem novas denúncias de corrupção em Brasília. Além do ministério do Turismo, cujo titular está ameaçado de perder o emprego a que chegou mais por vocação ao tradicional da política maranhense do que por competência técnica, surge agora o Ministério das Cidades, onde, segundo o noticiário do fim de semana, baixou a proposta de um “mensalinho”. Daqui a um mês – no dia 20 de setembro, na Cinelândia, palco de comícios multitudinários que levaram à redemocratização – haverá a primeira manifestação convocada pelas redes sociais contra a corrupção. A esperança e todos é de que tudo se faça em paz.

Anúncios