Reportagem publicada nesta segunda-feira (24) pelo jornal “O Estado de S.Paulo” mostra que o programa Pintando a Cidadania, do Ministério do Esporte, é suspeito de repassar R$ 1,3 milhão para empresas de fachada ou que não possuem nenhuma relação com os produtos fornecidos à organização não-governamental conveniada.

O jornal exibiu cópias de cheques assinados pelo Instituto Pró-Ação, com sede em Brasília, que firmou convênio de R$ 2 milhões com o ministério em 31 de dezembro de 2009. O convênio foi assinado pelo secretário de Esporte Educacional, Wadson Ribeiro. Ribeiro é filiado ao PC do B e, conforme a publicação, é um dos responsáveis pela assinatura de convênios sob suspeita.

O Ministério do Esporte é alvo desde a semana passada de denúncias de irregularidades em repasses para entidades. O ministro Orlando Silva foi à Câmara e ao Senado explicar as denúncias. Na sexta (21), após reunião de quase uma hora e meia com a presidente Dilma Rousseff, Orlando Silva anunciou que ficaria no cargo.

Anúncios