Para FHC, o condomínio partidário de Dilma é “maior que o necessário. Se ela dispensar um ou dois partidos, não acontece nada.”

Enxerga na reforma ministerial anunciada para o início de 2012 uma oportunidade para a virada. Recomenda “coragem” a Dilma.

“Acho que ela tem uma bela chance de atuar firmemente.”

Atribui parte das transgressões que infestam o noticiário ao sistema político clientelista. “Nossa cultura aceita transgressões.”

Anúncios