O deputado federal José Nobre Guimarães, pré-candidato a senador pelo PT, afirmou, nesta terça-feira, não temer uma candidatura do ex-governador Tasso Jereissati (PSDB). Ao mesmo tempo, deu um recado: o Senado precisa de renovação e não deve se transformar numa casa para aposentadoria de políticos.

“Quem quer ganhar a eleição não teme ninguém. Com muita humildade, vamos comparar as trajetórias, comparar as histórias e comparar o legado e, a partir daí, o eleitorado do Ceará ´quem define”, acentuou Guimarães, observando ser fundamental para o PT apostar na “renovação profunda” no Senado. Na Era Lula, o PT sempre vem perdendo a queda de braço política nessa Casa. A mais recente peleja é a CPI da Petrobras.

Para Guimarães, o Senado não pode se transformar na “casa da aposentadoria de políticos”, mas apostar em “sangue novo” e senadores eficientes e que defendam intransigentemente o Estado e que façam parcerias com o próximo governador para fazer o Ceará crescer ainda mais.

“Quando eu entro no Salão Azul do Senado, vejo que precisa de forças novas, de uma repaginada”, ressaltou Guimarães. Indagado se Tasso teria passado então politicamente,  acentuou: “O Tasso já cumpriu seu papel como político do Ceará. Foi governador três vezes, senador oito anos. Os ciclos políticos se iniciam e se encerram. É um fato natural”.

Em suas declarações constantes, ao dizer que não quer voltar ao cenário político-eleitoral, Tasso tem sempre apregoado que o momento é de renovação na política. 

Guimarães, que seguia para Brasília, onde retoma atividades legislativas, deixou claro que sua candidatura não será contra fulano ou beltrano, mas representativa de um projeto. Ele adiantou que o ex-presidente Lula será um importante trunfo em sua futura campanha rumo ao Senado.

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Navegação do post

21 comentários sobre “José Guimarães manda o recado: “Senado não é casa para aposentadoria de político””

  1. O que ele quis dizer ao afirmar que Os ciclos políticos se iniciam e se encerram só vale para os que não rezam ou não se ajoelham aos petistas ou aos petralhas.
    Basta observar alguns aliados do PT bem antigos, como Sarney, Collor, Renan e Maluf, que durante muito tempo eram alvo de protestos dos que faziam o PT.

     
  2. “vamos comparar as trajetórias, comparar as histórias e comparar o legado”. Atentem para essa frase acima do Guimarães.
    É muita desfaçatez desse arrogante e corrupto petista, pensa que o povo é trouxa, Guimarães é tudo que o povo do Ceará deve evitar, figura conhecida no caso “Cueca Gates”, onde seu assessor politico foi pego no aeroporto com milhares de reais e dólares na cueca, além de ter feito toda a campanha para deputado custeada pelo Bando do Nordeste, onde sua influ^ncia junto ao presidente do banco rendeu um prejuízo para o BNB de 2,5 bilhão, sem falar que é irmão do mensaleiro Jose Genoino, olha o legado desse rapa que quer a todo custo ser senador pelo Ceará. É muito “óleo de peroba” na cara.

     
  3. Guimarães está longe de ser uma renovação na política, agora, deputado o senhor não tem medo de pedir para comparar a sua história com a de Tasso? Quanto a atuação política basta procurar o que nossos atuais senadores e vossa senhoria, todos da base aliada produziram, só sabem balançar a cabeça para o governo dizendo sim. Agora, quanto a comparar história começa explicando a firme defesa que o nobre deputado fez dos mensaleiros incluindo seu irmão ou a defesa que fez do seu mui amigo André Vargas fazendo o gesto com ele de “dane-se Brasil” como se pode ver na foto. http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/congresso/amigo-de-vargas-levanta-o-braco/

     
  4. Do jeito que nossa população é besta ou ingenua é capaz de eleger um cara desses para passar 8 anos lá cansando o pescoço de tanto dizer sim senhora, lógico que não vai ser com meu voto.