AGÊNCIA SENADO

Aécio conquistou palaque no Ceará após negociações com Eunício
Compartilhar

 

O senador Eunício Oliveira comunicou, anteontem, à cúpula do Governo Federal que o PMDB abrirá o palanque no Ceará para o histórico rival petista, PSDB, após falta de acordo entre PT, Pros e PMDB para lançar Eunício como pré-candidato da aliança ao Governo do Estado. A informação foi confirmada, ontem, pelo vice-prefeito de Fortaleza, Gaudêncio Lucena (PMDB).

Conforme o vice-prefeito, o senador informou ao ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e, posteriormente, ao presidente nacional do PMDB e vice-presidente da República, Michel Temer, que, diante da falta de apoio do PT no Ceará, a alternativa do partido é se coligar ao PSDB e a outros adversários petistas. Ontem, Eunício aguardava reunião com o pré-candidato do PSDB Aécio Neves, em Brasília, mas o encontro não foi confirmado até o fechamento da matéria.

A expectativa do PMDB é formar chapa com o ex-senador Tasso Jereissati (PSDB) como candidato ao Senado. Ao cargo de vice, o PR deve indicar o ex-prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa. Segundo Gaudêncio, a principal indefinição é quanto ao Senado, pois Tasso é cotado para ser o vice-presidente de Aécio Neves.

O governador Cid Gomes, durante reunião do Pros com aliados, ontem, evitou comentários sobre a relação entre PMDB e PSDB. Já o irmão do governador e secretário da Saúde, Ciro Gomes, voltou a comparar Eunício com uma “biruta de aeroporto que a cada momento está buscando uma direção”.

Ciro disse ainda que a chapa que reunirá PR, PSDB e PMDB, excetuando a candidatura de Tasso, “é a chapa ideal”, referindo-se à fragilidade das candidaturas. O presidente estadual do PT, De Assis Diniz, afirmou não ter conhecimento sobre o encontro de Eunício com Mercadante e julgou serem boatos as informações.

Palanque

O PMDB ainda não definiu de que forma o palanque deve se estabelecer em relação ao apoio a Dilma Rousseff (PT) e/ou a Aécio. Mesmo assim, o PSDB cearense já manifestou a condição de que a aliança com o PMDB deve priorizar a candidatura de Aécio. “Não podemos adiantar os termos da negociação”, pontuou Lucena, sem descartar a possibilidade de palanque duplo. “Em política, tudo é possível”, frisou o peemedebista.

 

Tasso e Roberto Pessoa se reuniram na última terça-feira, mas as posições da aliança, segundo Pessoa, só serão anunciadas no próximo dia 30. Ontem, Tasso juntou correligionários para discutir estratégias.

O secretário-geral do PMDB, João Melo, disse que o PMDB se reúne hoje para definir alianças e tratar das articulações de Eunício em Brasília. O encontro devia ter acontecido ontem, mas, por causa de reuniões – inclusive com a cúpula da sigla e com Aécio – o senador não retornou para o Ceará a tempo. (Colaborou Raul Galhardi)