Henrique Eduardo Alves ontem confirmou com Gilberto Carvalho o que já desconfiava: o governo não voltará atrás na decisão de dar aos conselhos populares o poder de palpitar a respeito de políticas do Executivo (Leia mais aqui e aqui).

Gilberto Carvalho saiu da reunião sabendo exatamente as razões pelas quais Henrique Alves não topará fazer audiências públicas sobre o tema na Câmara, como sugeriu o ministro de Dilma Rousseff.

Henrique Alves explica o que disse ao enviado do Palácio do Planalto: não dará margem a transformar seus pares em inimigos públicos da sociedade civil organizada.

– Não faz sentido abrir discussão agora de uma medida que o Parlamento considera uma afronta aos seus poderes. Audiências públicas para haver um enfrentamento entre os deputados e os conselhos populares? Jogar os conselhos contra o Legislativo?

Agora, resta apenas os deputados resolverem aparecer no trabalho para dar quorum suficiente para Henrique Alves pautar o projeto de decreto legislativo que derruba a canetada de Dilma.

Por Lauro Jardim