A matéria da agência Reuters é enfática ao abordar os desdobramentos da questão:

“O que está escrito lá é o que 99 por cento dos analistas de mercado falam há no mínimo três meses’, disse um economista de um grande banco estrangeiro no Brasil, que também pediu para não ser identificado. “Está todo mundo preocupado, foi um absurdo.”

Gestores, economistas e analistas estão se escondendo, evitando emitir opiniões sobre a situação atual dos mercados e da economia. Ou, qual a credibilidade das análises daqui para frente?

A tese de “terrorismo econômico” tomou, enfim, a sua forma mais precisa.