Aécio pode alterar programa de governo para garantir o apoio de Marina

Por Vitor Sorano | 06/10/2014 18:09 – Atualizada às 06/10/2014 19:39

Texto

Aécio afirmou que recebeu uma ligação de Marina nesta manhã, cumprimentando-o pela chegada ao segundo turno

Em novo aceno a Marina Silva (PSB), o senador Aécio Neves (PSDB) disse ver “absoluta convergência” entre diversos pontos de seu plano de governo e o da ex-senadora que teve 22,1 milhões de votos no primeiro turno.

Dilma e Aécio se lançam na corrida pelos votos de Marina Silva

Mais: Após ser apontada como favorita, Marina termina primeiro turno em terceiro

“Eu vejo neles (fim da reeleição, defesa da sustentabilidade e manutenção de avanços até agora obtidos) e até em outros absoluta convergência com o que nós pensamos e queremos para o Brasil. E se vocês avaliarem os nossos programas vão encontrar muito mais pontos de convergência do que de divergência”, disse Aécio, em São Paulo, nesta segunda-feira (6).

O tucano sinalizou inclusive que pode fazer alterações em seu programa de governo para garantir o apoio de Marina no segundo turno. “As nossas propostas estão aí e sempre podem ser aprimoradas.”


Divulgação/PSDB

Aécio Neves (PSDB) cumprimenta Geraldo Alckmin, governador reeleito de São Paulo, em coletiva de imprensa

Aécio afirmou que recebeu uma ligação de Marina na manhã desta segunda, cumprimentando-o pela chegada ao segundo turno, mas que o contato não serviu para discutir acordo.

“Eu vou aguardar com muita serenidade a decisão de quaisquer partidos políticos que não puderam estar conosco no primeiro turno e de quem disputou a eleição. E estou aberto obviamente para conversar em torno de um projeto para o Brasil.”

Veja também: Marina sinaliza apoio a Aécio, mas diz que decisão ainda será discutida

O tucano também disse desconhecer uma alegada disposição da viúva de Eduardo Campos, Renata Campos, de apoiar o PSDB no segundo turno contra Marina.

Uma fonte do partido dá essa possibilidade como quase certa, o que ajudaria Aécio a diminuir a desvantagem ante Dilma no Nordeste. Em Pernambuco, Estado natal de Campos, o tucano teve 6% dos votos.

Nesta quarta-feira (8), em Brasília, uma Comissão Executiva Nacional do PSB se reúne e pode anunciar sua decisão final sobre quem apoiará no segundo turno.

Aécio e Leticia na votação. Foto: Washington Alves/Reuters

Encarnação da mudança

Aécio se autointitulou como “a encarnação da mudança”, em uma tentativa de conquistar os votos antidilmistas que não conseguiu no primeiro turno.

“O que nós assistimos neste primeiro turno foi a vitória clara desse sentimento de mudança em todo o País”, afirmou o tucano. “Eu me sinto extremamente honrado de poder agora neste segundo turno liderar a construção desse projeto.”

Numa primeira reação à estratégia petista de pintar a campanha tucana como assombrada por “fantasmas do passado”, Aécio afirmou que o que preocupa os brasileiros são os “monstros do presente”, citando inflação, corrupção e recessão – dando, assim, uma pista de qual será a artilharia do PSDB no segundo turno.

Aécio alfinetou, ainda, os institutos de pesquisa de intenção de votos, que indicavam uma vantagem maior de Dilma no primeiro turno, dizendo que seu desempenho contrariou os prognósticos feitos.