Quem foram os presidentes que não concluíram o mandato e por quê

Michel Temer (PMDB) completou nesta sexta-feira um ano e uma semana desde que assumiu interinamente a Presidência da República. Pela segunda vez em um ano, o País tem presidente ameaçado de cair. Presidente não concluir mandato no Brasil não chega a ser propriamente novidade. Aliás, é algo que vem desde a fundação da República e atravessou a história do País. Dos dez presidentes efetivos que não terminaram o período de governo, seis caíram em função de crises políticas. Veja quem foram e quais as motivações.

Marechal Deodoro: primeiro presidente renunciou

1. Deodoro da Fonseca
Período de governo: 15 de novembro de 1889 a 25 de fevereiro de 1891
Via para a Presidência: tomada do poder (1889) e eleição indireta (1891)
Fim do mandato: renúncia
Contexto: havia intensa crise política. Deodoro fechou o Congresso, censurou a imprensa e prendeu líderes oposicionistas. A crise só aumentou e ele renunciou, com a frase: “Assino a carta de alforria do derradeiro escravo do Brasil”.

 

 

 

Afonso Pena morreu durante o mandato

2. Afonso Pena
Período de governo: 15 de novembro de 1906 a 14 de junho de 1909
Via para a Presidência: eleição direta
Fim do mandato: morte por pneumonia

 

 

 

 

Washington Luís foi deposto por Vargas

3. Washington Luís
Período de governo: 15 de novembro de 1926 a 24 de outubro de 1930
Via para a Presidência: eleição direta na qual foi candidato único
Fim do mandato: deposição pela Revolução de 1930

 

 

 

 

Vargas cometeu suicídio em meio a crise e pressão por renúncia

4. Getúlio Vargas
Período de governo: 3 de novembro de 1930 a 29 de outubro de 1945 e 31 de janeiro de 1951 a 24 de agosto de 1954
Via para a Presidência: tomada do poder (1930), eleição indireta (1934) e eleição direta (1950)
Fim do mandato: suicídio em meio a crise política

 

 

 

 

 

Café Filho se afastou por problema de saúde e foi proibido de voltar

5. Café Filho 
Período de governo:
 24 de agosto de 1954 a 8 de novembro de 1955
Via para a Presidência: vice que assumiu com a morte de Vargas
Fim do mandato: impeachment
Contexto: Juscelino Kubitscheck foi eleito, mas havia pressão para que não fosse dada posse. Em meio à crise, Café Filho teve distúrbio cardiovascular e se afastou em 8 de novembro de 1955. Tomou posse o presidente da Câmara, Carlos Luz. Acusado de conspiração para não deixar JK assumir, foi deposto pelo ministro da Guerra, marechal Henrique Lott, em 11 de novembro, três dias após assumir. O impeachment foi aprovado pelo Congresso Nacional, sob pressão das Forças Armadas. Tomou posse o 1º vice-presidente do Senado, Nereu Ramos.

Café Filho se restabeleceu e tentou reassumir o cargo. Lott o vetou e o Congresso, em 22 de novembro, aprovou o impeachment de Café Filho. Foi decretado estado de sítio até a posse de Kubitscheck. O episódio ficou conhecido como golpe preventivo, com objetivo de assegurar a legalidade.

 

Jânio: renúncia em manobra política frustrada

6. Jânio Quadros
Período de governo: 31 de janeiro de 1961 a 25 de agosto de 1961
Via para a Presidência: eleição direta
Fim do mandato: renúncia
Contexto: a renúncia era manobra para tentar retornar ao cargo com mais poderes. Não deu certo.

 

 

 

 

Jango foi deposto pelos militares que instalaram a ditadura

7. João Goulart
Período de governo: 8 de setembro de 1961 a 31 de março de 1964
Via para a Presidência: vice que assumiu após renúncia de Jânio
Fim do mandato: deposto pelo golpe militar de 1964
Contexto: acusado de ser comunista e em meio a medidas polêmicas e consideradas radicais, foi deposto pelas Forças Armadas que instituíram ditadura militar

 

 

 

Segundo dos generais ditadores afastou-se após derrame

8. Costa e Silva
Período de governo: 15 de março de 1967 a 31 de agosto de 1969
Via para a Presidência: eleição indireta
Fim do mandato: afastamento após derrame cerebral. Morreu meses depois

 

 

 

 

Collor renunciou no dia em que sofreria impeachment

9. Fernando Collor de Mello
Período de governo: 15 de março de 1990 a 2 de outubro de 1992
Via para a Presidência: eleição direta
Fim do mandato: renúncia na data da votação do impeachment
Contexto: alvo de denúncias de corrupção, renunciou na última hora para tentar preservar os direitos políticos, o que não conseguiu.

 

 

 

 

Dilma sofreu impeachment há um ano e uma semana, em crise ainda não encerrada

10. Dilma Rousseff
Período de governo: 1º de janeiro de 2011 a 31 de agosto de 2016
Via para a Presidência: eleição direta
Fim do mandato: impeachment
Contexto: em meio a denúncias de corrupção, foi acusada de manobras fiscais e teve impeachment aprovado no Congresso.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentário

Nome *

Site

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s